Protecionismo x informação

Dose de informação: em protesto, importadora vende vinhos sem impostos

Há quem diga que o grande consumidor ainda está do lado de fora de uma grande discussão no Brasil. Tenho minhas dúvidas.

Fato é que o Ibravin, o Instituto Brasileiro do Vinho, em defesa dos seus associados, produtores brasileiros, pediu ao governo federal uma consulta para eventuais salvaguardas contra o vinho importado. Um protecionismo visando proteger a indústria nacional, que prosperou e se desenvolveu, mas se sente ameaçada com a competição.

O mercado chiou, reclamou e o mundo do vinho se debate em relação ao tema.

Enquanto os xiitas do Ibravin insistem em radicalizar contra o produto importado, sem informar exatamente o que pretende com as salvaguardas, divorciando-se do consumidor, os xiitas do outro lado – alguns colunistas, sommeliers e donos de restaurantes praticam o revanchismo pregando o boicote ao vinho brasileiro.

Ambas as panelas de radicais que se esqueceram de informar o consumidor antes, ignorando-o sempre.

Vou além nos próximos dias.

Por ora, fico com um alento de inteligência que os proprietários da importadora Ravin de São Paulo pratica a partir de hoje.

Num protesto informativo, faz uma promoção de três vinhos que importa mostrando o preço que custam, custariam com as salvaguardas ‘aumentam-preço’ e os vende sem impostos.

Você pode comprar ou não os vinhos. A decisão é sua.

Mas ao consumidor, sua excelência, é dada a informação para que julgue por si próprio o caso.

Sem tutela.

Só com respeito à inteligência alheia.

 

2 thoughts on “Protecionismo x informação

  1. Substância sacramental, o vinho é a delicadeza da poesia e a profundidade da filosofia.
    Não é uma bebida; é carinho e sabedoria compartilhados entre boas conversas.
    Certamente teremos – entre outras – leituras enológicas fascinantes pelo ‘Homo Sapiens’.
    Porque “com o passar dos vinhos, os anos ficam melhores”.
    Dos 40 aos 100, Salute!

  2. Helena, minha cara
    Você acerta e ponto. O homosapiens terá muito sobre vinho, sempre com olhares além do que se faz hoje. Aliás, vc percebeu o quanto os críticos enochatos de ontem agora querem se fazer passar por simples e descomplicados? Bem-vinda sempre! E rumo aos 100! Cuide-se!

Deixe uma resposta